Frase de Augusto dos Anjos


Imagem da Frase:



A Esperança 
 
 A Esperança não murcha, ela não cansa, 
 Também como ela não sucumbe a Crença, 
 Vão-se sonhos nas asas da Descrença, 
 Voltam sonhos nas asas da Esperança. 
 
 Muita gente infeliz assim não pensa; 
 No entanto o mundo é uma ilusão completa, 
 E não é a Esperança por sentença 
 Este laço que ao mundo nos manieta? 
 
 Mocidade, portanto, ergue o teu grito, 
 Sirva-te a Crença do fanal bendito, 
 Salve-te a glória no futuro -- avança! 
 
 E eu, que vivo atrelado ao desalento, 
 Também espero o fim do meu tormento, 
 Na voz da Morte a me bradar; descansa! (Augusto dos Anjos)
Mais frases populares de Augusto dos Anjos

Sobre o Autor:
Augusto dos Anjos
Augusto dos Anjos


Nascimento: 20 de abril de 1884

Morte: 12 de novembro de 1914 (30 anos)

Biografia: Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos foi um poeta brasileiro, identificado muitas vezes como simbolista ou parnasiano. Todavia, muitos críticos, como o poeta Ferreira Gullar, preferem identificá-lo como pré-modernista, pois encontramos características nitidamente expressionistas em seus poemas.

Frase do Dia

Aquele que obtém uma vitória sobre outros é forte, mas aquele que obtém uma vitória sobre si próprio é todo - Poderoso.
Lao Tsé

Autores populares